7 coisas que você precisa saber para compreender o seu cão

01/02/2016

Você vai adorar conhecer estas curiosidades


Na convivência com nossos pets, acabamos, muitas vezes, esquecendo que eles são animais e os tratamos como humanos. Tanto que os nossos amigões acabam muitas vezes ficando incomodados com algumas das nossas atitudes. Confira as sete coisas que você precisa saber para compreendê-los melhor:

1-O olfato dos cães é 10 mil vezes melhor que o nosso. Tudo isso por causa daquele "risquinho" que eles possuem embaixo das narinas. Eles também adoram cheiros que para nós são ruins, como o de lama ou carniça.

2-Devido ao super olfato - e outras sensibilidades - existem cães treinados para detectar quando alguém está prestes a ter uma convulsão e até mesmo quando vai ocorrer queda de insulina em diabéticos.

3-Eles estão tão conectados com a natureza, que fazem cocô alinhados ao campo magnético da Terra. Pelo menos é isso que diz uma pesquisa feita na República Checa. Segundo os cientistas, eles sempre vão fazer o número dois alinhados ao eixo norte-sul, e não em outros sentidos, como leste-oeste, por exemplo.

4-Existem raças de cães especiais: os Newfoundlands possuem membranas entre os dedos que facilitam a natação, enquanto o Lundehun Norueguês possui seis dedos nas patas, e os Basenji não sabem latir, mas conseguem uivar de um jeito muito especial: parecem que estão cantando.

5-Os sensores do "bigode" do cão podem ajudá-lo a compreender se ele cabe em um espaço muito pequeno - e por isso mesmo alguns pets se enfiam em lugares minúsculos mas conseguem caber!

6-A cauda, mais do que expressar os sentimentos dos cães, é fundamental para o equilíbrio do animal! Durante muito tempo, cortava-se a cauda em algumas raças, mas esta prática não é recomendável hoje. No Brasil, o Conselho Federal de Medicina Veterinária proíbe cortar esta importante parte de qualquer raça!

7-Eles identificam a desonestidade! Uma pesquisa percebeu que os cães, depois de algumas "promessas não cumpridas" por alguém, passam a identificar uma determinada pessoa como desonesta (especialmente quando elas oferecem petisco, mas não dão para comer).

Voltar