Cães sentem o “cheiro do medo”, diz estudo

06/12/2017

O focinho dos cães é uma verdadeira janela para o mundo. Todos já sabemos que eles conhecem muito do que ocorre ao redor por meio do olfato. Para nós humanos, que temos a visão como “principal” sentido, é preciso refletir um pouco para tentar entendê-los. Quando conseguimos praticar essa empatia canina, talvez seja possível respeitar melhor os nossos pets sempre que eles decidirem “meter o nariz” em lugares estranhos, como cocôs e ambientes cheios de xixi (eca!).

 

O que não se sabia – e ainda precisa ser estudado – é que os nossos amigos de quatro patas conseguem sentir cheiro do nosso sentimento de medo. É o que diz o estudo de Biagio D’Aniello (professor de Zoologia da Universitá Degli Studi di Napoli Frederico II, na Itália). Publicado na revista científica Animal Cognition, o estudo feito com humanos e suas relações com Labradores e Golden Retrievers mostrou que os odores corporais produzidos por nós podem interferir nas sensações dos pets.

 

Essencialmente, o estudo mostra que os cães demonstraram condições de stress e medo sempre que expostos aos cheiros corporais de humanos em condição de medo. Além de mostrar que os cães conseguem identificar esses cheiros, chamados de sinais químicos ou “chemosignals” em inglês, o estudo também indica que são estes odores que promovem a interação entre espécies.

 

Quando sentimos medo, eles sentem também!

Voltar