Gata foi o primeiro animal a ter passaporte: saiba como funciona viajar com pets

20/03/2014

A gatinha de um economista tem agora passaporte, e seu cão pode ter também!

Você sabia que os animais domésticos agora podem ter um passaporte? Trata-se de um documento que atesta todas as condições de saúde do animal na hora que ele precisar mudar de país. Embora não seja obrigatório, ele substitui o Certificado Veterinário Internacional e, de acordo com as informações do Ministério da Agricultura (que controla os animais viajantes), facilita a liberação do animal por reunir todas as informações em um só lugar.

Assim como o caso da gatinha que ficou famosa, os animais que fazem viagens internacionais precisam de uma documentação específica, que exige exames para evitar que doenças sejam transmitidas de um país para o outro. No processo de emissão do passaporte, é implantado um chip no dorso do animal, para que ele seja identificado com mais facilidade. No entanto, alguns cuidados são muito importantes na hora de levar seu cão a outros países:

- Prefira os voos sem escalas, já que o animal pode sofrer um estresse maior na troca de aviões;

- Garanta caixas de transporte confortáveis, que evitem o vazamento de dejetos, e que permitam que o animal se mova lá dentro!

- Acostume seu cão à caixa de transporte: faça-o entrar, comer um pouco, dê um petisco e faça carinho quando ele estiver nela;

- Cães idosos, filhotes e raças de focinho achatado devem evitar ao máximo as viagens. Cadelas prenhes não são permitidas!

 

Voltar